Arquivos mensais: Março 2015

Custo da Energia no Brasil é Superior 200% ao da China

Mais de 60 empresários e CEO’s da indústria e serviços de Joinville, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Florianópolis e Curitiba participaram de um debate com os presidentes da Celesc e Copel, principais distribuidoras de energia do Sul do país. Também participou do encontro o presidente da primeira comercializadora de energia do Brasil, Trade Energy, na terça-feira, dia 3. O encontro foi promovido pelo conselho consultivo do WTC Business Club Joinville.

A conta de energia dos brasileiros já teve reajuste na última semana e novo aumento deve ser anunciado pelo governo federal até agosto deste ano. Em Santa Catarina, a Celesc repassou 24,8% de aumento autorizado pela Aneel, devido a alguns fatores como, por exemplo, a compra de carga extra para complementar as demandas do mercado. “Problema na matriz energética brasileira. Não podemos mais operar o sistema elétrico nacional sem a utilização de termoelétricas”, afirmou Luis Fernando Vianna, presidente da Companhia Paranaense de Energia (Copel).

O custo da energia para a indústria no Brasil, hoje, é superior 200% ao da China e com matriz energética menos eficiente, segundo dados da Firjan, trazidos por Walfrido Avila, presidente da Trade Energy. “No entanto, a energia ainda é vista muito como a guerra fiscal, todo mundo fala sobre ela, mas ninguém resolve. Em 2015 ainda não temos segurança para dizer qual o nível tarifário, isso gera uma tremenda insegurança, mas o que nós temos que repassar como mensagem para a sociedade é de como trazer energia barata para sustentar o desenvolvimento, essa é a nossa função”, explicou Avila.

O grande questionamento em torno do assunto racionamento foi explicado por Cleverson Siewert como pouco provável de resolução até que se chegue e passe pelo período úmido. “Até  fim de abril o governo não vai falar nada e em uma percepção bem particular estimo que, um novo reajuste ficará em um dígito em agosto. No entanto, a probabilidade é de 100% se a preservação de energia ficar em 20% ao final de abril e pode chegar a 10% de chance se chover bem mais. É preciso 60% de água nos reservatórios brasileiros”, afirmou. O presidente da Celesc também ressaltou alguns investimentos em Santa Catarina. Aproximadamente R$ 40 milhões estão previstos em programas de eficiência energética.

Para o diretor executivo do WTC, Diego Pettinazzi, um número expressivo de empresários está em busca de soluções otimizadoras de tempo e de negócios, por isso um evento como esse gera muito interesse no cliente do WTC. “O evento foi muito produtivo e tivemos excelentes retornos tanto de nossos palestrantes como de nossos clientes”, concluiu.

Fonte: Economia SC